Ocidente ´não pode abandonar Afeganistão´, diz Rice

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, alertou que o Afeganistão pode ser tornar um país fracassado e voltar para "assombrar o mundo" a não ser que a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) ajude o país no seu caminho para a democracia. A declaração foi feita durante uma viagem ao Canadá, onde a participação nas Forças da Otan não conta com a aprovação da população. Ao mesmo tempo, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovava a continuidade da operação liderada pela Otan no Afeganistão.Condoleezza Rice afirmou que a posição estratégica do país significa que o Afeganistão corre risco de se tornar um porto seguro para militantes extremistas e que os Estados Unidos aprenderam sua lição quando deram pouca atenção ao país após a retirada da União Soviética, em 1989."Todos nós pagamos por isso", disse a secretária de Estado. "Se você permite este tipo de vácuo, se permite que haja um Estado fracassado numa posição estratégica, você vai pagar o preço. Devemos ao povo do Afeganistão a ajuda para terminar o serviço."Nesta quarta-feira, integrantes da Otan se reúnem na Bélgica para tentar acertar o envio de mais 2,5 mil soldados à região, o número que os comandantes dizem ser necessário para conter os novos focos de insurgência do Taleban.Se a resistência dos países membros em ampliar a operação for vencida, as tropas adicionais se unirão a 18,5 mil soldados da organização que já estão no Afeganistão.Outros 18 mil soldados americanos também estão no país, mas não sob a liderança da Otan.Ameaça maior que Al-QaedaNo mês passado, comandantes da Otan assumiram o controle das operações na região, anteriormente lideradas pelos Estados Unidos, mas começaram a enfrentar uma onda de ataques do Taleban em seguida, principalmente no sul do país.O presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, afirmou que o Taleban era uma ameaça maior para a segurança da região que a Al-Qaeda de Osama Bin Laden."O centro de gravidade do terrorismo se transferiu da Al-Qaeda para o Taleban", ele disse a parlamentares europeus, em Bruxelas.Para Musharraf, um Taleban fortalecido é particularmente perigoso, já que, ao contrário da Al-Qaeda, o grupo tem uma história com o povo afegão.FoguetesDe acordo com a agência Associated Press, militantes lançaram dois foguetes contra o leste da cidade de Jalalabad nesta quarta-feira, pouco antes de uma visita do presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, e do primeiro-ministro do Paquistão, Shaukat Aziz.O ataque não deixou feridos. Um dos foguetes caiu perto do aeroporto da cidade, enquanto o segundo teria atingido uma área próxima a um tribunal de justiça, segundo um porta-voz da polícia.A segurança na cidade foi intensificada depois do incidente, com soldados afegãos e americanos fechando ruas e revistando carros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.