OEA afirma que insegurança é 'epidemia' na região

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, advertiu hoje que a insegurança é uma das maiores ameaças para a estabilidade e o fortalecimento da democracia, e o desenvolvimento do continente. As afirmações foram feitas durante uma reunião para discutir segurança pública, no México. O governo anfitrião conclamou os outros 34 países integrantes da entidade a formarem uma "frente continental" contra a delinqüência e desenvolver uma base de dados regional sobre a criminalidade. "É uma epidemia, uma praga no nosso continente que mata mais gente que a aids ou qualquer outra epidemia conhecida, destroça mais lares que qualquer crise econômica", afirmou Insulza.O presidente mexicano, Felipe Calderón, afirmou que é importante atacar não somente o tráfico de drogas, "mas também o mercado de drogas em sua totalidade...que se ataque o consumo e a demanda no maior mercado do mundo, que está precisamente na América", referindo-se aos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.