OEA avaliará infração de direitos humanos na Venezuela

Um grupo de estudantes universitários venezuelanos colocou um final à greve de fome que fazia há 17 dias. O protesto começou após uma comissão da Organização dos Estados Americanos (OEA) ter feito uma visita à Venezuela e se comprometer a levar à sua secretaria as denúncias de violações dos direitos humanos no país.

AE-AP, Agencia Estado

08 de dezembro de 2009 | 20h35

"A greve de fome alcançou o objetivo", disse o líder estudantil Julio Rivas, ao anunciar o final do movimento de protesto iniciado por uma dezena de universitários em 21 de novembro.

"Apesar de todos os obstáculos, hoje temos na Venezuela uma comissão da OEA que veio levantar as denúncias de violações dos direitos humanos, da repressão e da perseguição política", afirmou Rivas após se reunir com três representantes do organismo pan-americano. Segundo ele, a OEA se comprometeu a difundir um comunicado oficial sobre a situação dos direitos humanos no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.