OEA chega a Honduras para negociar fim da crise

A missão da Organização dos Estados Americanos (OEA) chega nesta manhã a Honduras para tentar auxiliar no fim da crise política no país. Segundo o jornal local "La Prensa", a OEA informou que haverá a partir das 10h30 (hora local, 13h30 de Brasília) uma reunião com representantes do presidente deposto, Manuel Zelaya, e do governo de facto, liderado por Roberto Micheletti. O diálogo deve ocorrer em um hotel da capital Tegucigalpa.

AE, Agencia Estado

07 de outubro de 2009 | 10h25

A missão da OEA é comandada pelo secretário-geral da entidade, José Miguel Insulza. O Brasil enviou seu embaixador na OEA, Ruy Casaes, e o subsecretário de Estado dos Estados Unidos para o Hemisfério Ocidental, Thomas Shannon, também integra o grupo.

Deposto em 28 de junho e expulso de Honduras, Zelaya retornou ao país em 21 de setembro e, desde então, se abriga na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa. O governo de facto afirma que ele foi derrubado por desrespeitar a Constituição, ao tentar alterá-la. Vários países, porém, entre eles EUA e Brasil, exigem o retorno de Zelaya ao poder. A comunidade internacional ameaça não reconhecer as eleições marcadas para 29 de novembro caso o presidente eleito não retome o cargo.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurascriseOEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.