OEA condena atrasada golpe na Venezuela

Somente dois dias após o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ter sido derrubado temporariamente do poder (na madrugada da última sexta-feira), os embaixadores da Organização dos Estados Americanos (OEA) finalmente conseguiram formular uma declaração em que condenam o golpe antichavista.Um pouco tardiamente, a OEA resolveu, na madrugada deste domingo, "condenar a alteração da ordem constitucional" venezuelana e pedir sua "normalização". Ao mesmo tempo, confirmou que enviará uma missão à Venezuela, tendo à frente seu secretário-geral, César Gaviria - que deve seguir "com a maior urgência para o país sul-americano para "investigar os fatos e empreender as gestões diplomáticas necessárias" após a crise política que derrubou por algumas horas o presidente Hugo Chávez.A resolução foi tomada na madrugada deste domingo, enquanto ocorria na Venezuela o retorno de Chávez ao poder, mas só foi comunicada pela manhã, e ainda não se sabem os objetivos da missão da Gaviria.Segundo o comunicado da OEA, a missão pretende levar adiante uma missão de "bons ofícios" para "promover a mais rápida normalização da institucionalidade democrática" na Venezuela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.