OEA: Correa deve propor acordo nacional no Equador

Para enfrentar a crise econômica mundial, o presidente Rafael Correa, reeleito em primeiro turno no domingo, deve propor um acordo nacional de longo prazo, segundo a Organização dos Estados Americanos (OEA). Correa proclamou sua vitória ainda ontem, após os primeiros resultados mostrarem sua ampla vantagem. Correa superou com folga o segundo colocado, o ex-presidente Lucio Gutiérrez. A inédita reeleição presidencial de Correa, autodefinido "um cristão de esquerda", lhe dá legitimidade para "encabeçar um processo de acordo nacional" com uma liderança inquestionável que, porém, deverá ser "inconclusiva", na opinião do chefe da missão de observadores da OEA, Enrique Correa.

AE-AP, Agencia Estado

27 de abril de 2009 | 12h09

O desemprego chegou a 8,6% no país, no primeiro trimestre de 2009. "Entendemos bem que por trás das cifras macroeconômicas, que são extraordinárias para a crise que vivemos, encontram-se seres humanos", disse Correa, economista de formação. "Nossa opção preferencial, que a ninguém reste a menor dúvida, é com os mais pobres do país. Nosso compromisso é erradicar a miséria e deixar um país mais justo, mais solidário, mais equitativo e digno." Com apenas dois anos no poder, Correa conseguiu ganhar mais um mandato de quatro anos, com a possibilidade de concorrer novamente em 2013. A nova Constituição do país permite apenas uma reeleição imediata.

Tudo o que sabemos sobre:
EquadoreleiçõesCorrea

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.