OEA critica cassação de licença de TV venezuelana

A Organização dos Estados Americanos (OEA) se disse nesta sexta-feira preocupada com a decisão do governo venezuelano de não renovar a concessão do canal privado Rádio Caracas Televisão (RCTV). Hugo Chávez, que toma posse como presidente reeleito no próximo dia 10, insistiu na quarta-feira que não renovará a concessão da emissora, em funcionamento desde 1953, alegando que se trata de um meio de comunicação golpista e contrário ao povo."É necessário ter em conta as repercussões políticas. O fechamento de um meio de comunicação de massa é um fato muito pouco comum na história do nosso continente e não tem precedentes nas últimas décadas de democracia", disse o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, em nota.Chávez acusa a RCTV de ser contra a democracia e de ter apoiado o breve golpe contra ele em 2002. Insulza qualificou de graves as acusações do governo, mas disse que a cassação da concessão poderia ser vista como uma forma de censura à liberdade de expressão, ao mesmo tempo em que serviria de alerta para outras redes, que poderiam se impor limites para escapar a punições."O secretário-geral expressou sua esperança de que esta decisão seja revista e que se permita a continuação normal das transmissões de Rádio Caracas Televisão", diz a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.