OEA discute Declaração dos Direitos dos povos indígenas

A Organização dos Estados Americanos (OEA) começou nesta terça-feira, em Washington, a oitava reunião de negociações sobre a Declaração Americana dos Direitos dos Povos Indígenas, tendo o conceito da livre determinação como um de seus assuntos principais.Na sessão de abertura, o presidente do Grupo de Trabalho encarregado do tema, o embaixador da Guatemala, Juan León, fez um apelo aos representantes dos países-membros, para que busquem soluções que "reafirmem o direito sem limites""Devemos esgotar todos os esforços para imaginar um futuro em que os povos indígenas possam decidir seus próprios assuntos, com total liberdade, para promover o seu desenvolvimento econômico, político, social, cultural, educativo e jurídico", acrescentou.León, membro da comunidade maia k´iche, lembrou que os representantes indígenas reafirmam que a livre determinação não ameaça a unidade territorial dos Estados.O diplomata guatemalteco mostrou otimismo mas admitiu que a tarefa de conseguir consenso em alguns aspectos da Declaração não é fácil e dependerá da "flexibilidade de todas as delegações".Natalia Sara-pura, representante da etnia kolla, da Argentina, afirmou que "a livre determinação é um direito inerente aos povos indígenas".Na IV Cúpula das Américas, na Argentina, em novembro de 2005, e na última Assembléia Geral da OEA, em junho deste ano, os governos da região ressaltaram a importância de adotar a Declaração Americana dos Direitos dos Povos Indígenas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.