Ramon Espinosa/AP
Ramon Espinosa/AP

OEA sugere que candidato governista deve ser excluído de eleição no Haiti

Evidências de fraude e manipulação de votos podem tirar Jude Celestin das eleições

Associated Press

10 de janeiro de 2011 | 14h45

PORTO PRÍNCIPE - Observadores internacionais consideram que o candidato governista nas eleições presidenciais do Haiti deve ser excluído do segundo turno, segundo um relatório obtido pela Associated Press.

 

A equipe de supervisão da Organização dos Estados Americanos (OEA) pede no documento que o aspirante à presidência Jude Celestin seja eliminado das eleições perante evidência de que houve fraude e manipulação na votação. Após o anúncio dos resultados do primeiro turno, houve manifestações entre a população.

 

A OEA tinha planejado apresentar o relatório nesta segunda ao presidente René Préval. A Comissão Eleitoral do Haiti deverá decidir como responder à organização.

 

O documento também recomenda que Michel Martelly, que ficou em terceiro lugar, tome a segunda colocação para concorrer com a ex-primeira dama Mirlande Manigat.

 

O segundo turno estava previsto para o próximo domingo, mas foi adiado e não será realizado até pelo menos o próximo mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.