OEA suspende participação de Honduras

A Organização dos Estados Americanos (OEA) suspendeu a participação de Honduras na organização em resposta ao golpe militar ocorrido no país há uma semana, que destituiu do poder o então presidente, Manuel Zelaya. A decisão foi tomada durante uma reunião especial dos ministros de Relações Exteriores do grupo, com 33 votos a favor e uma abstenção - a de Honduras.

AE-AP, Agencia Estado

05 de julho de 2009 | 09h40

"A suspensão tem efeito imediato", afirmou o ministro de Relações Exteriores da Argentina, Jorge Taiana, durante a leitura da resolução para outros membros da OEA. Embora a medida implique afastamento temporário de Honduras, o país ainda receberá orientações da organização em algumas áreas, como a de direitos humanos.

A decisão de suspender Honduras ocorre após o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, ter fracassado numa negociação com o atual governo do país para reconduzir Zelaya ao poder. Honduras já havia anunciado a saída unilateral da OEA por não concordar com a exigência do órgão de restituir o líder deposto à Presidência.

Zelaya insiste em retornar a Honduras hoje. Ele disse em uma mensagem transmitida pela internet que desembarcará no aeroporto de Tegucigalpa, capital do país, e solicitou a presença de seus simpatizantes no local.

"Eu peço a todos os agricultores, moradores, indígenas, jovens e grupos de trabalhadores, empresários e amigos que me acompanhem no retorno a Honduras", afirmou Zelaya. "Não levem armas. Pratiquem o que eu sempre defendi, que é a não violência. Deixem eles ser aqueles que usam a violência, as armas e a repressão."

Parte da população hondurenha vem realizando passeatas diárias de apoio ao golpe militar e a Roberto Micheletti, presidente do Congresso que foi escolhido pelos legisladores para cumprir os seis meses restantes do mandato de Zelaya. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasgolpeOEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.