Oeste da Austrália se prepara para chegada de ciclone

Os produtores de petróleo e minérios se preparam hoje para a chegada de um ciclone no oeste da Austrália, na região de Pilbara, rica em minério de ferro. Portos estavam sendo fechados e embarcações receberam ordens para ancorar no mar.

GABRIEL BUENO, Agência Estado

11 de janeiro de 2012 | 09h09

A companhia Santos fechou seu campo de petróleo Mutineer-Exeter e a Woodside Petroleum havia suspendido o trabalho em vários campos na costa noroeste do país, enquanto o ciclone Heidi se move para o sul em direção à costa, informaram as empresas. O porto de Hedland, um dos maiores no mundo para a exportação de minério de ferro, e o de Dampier, a oeste, foram fechados como precaução e os navios receberam ordens para ancorar no mar, disseram porta-vozes das autoridades portuárias.

As minas não estão registrando paralisações por causa do ciclone que deve chegar e podem estocar o minério de ferro. A menos que o ciclone leve a problemas prolongados, os portos em geral conseguem compensar os atrasos.

Na tarde de quarta-feira, o ciclone foi elevado para a categoria 2. O Escritório de Meteorologia do governo advertiu que as rajadas podem chegar a 155 quilômetros por hora. Ventos de até 100 quilômetros por hora podem chegar ao porto de Dampier durante a noite, informou o órgão.

A Rio Tinto segunda maior produtora de minério de ferro após a brasileira Vale, parou de carregar o produto nos terminais em Dampier e Cape Lambert e cancelou viagens de seus funcionários que não sejam essenciais para a região, disse um porta-voz. A BHP Billiton, que usa terminais em Port Hedland, afirmou que adota medidas cautelosas durante situações climáticas extremas, mas que não daria detalhes dos passos que têm tomado.

A remota região de Pilbara representa quase 40% do comércio por mar de minério de ferro no mundo, mas geralmente sofre com a temporada anual de ciclones, com risco de prejuízos para as linhas ferroviárias e de enchentes nas minas. Os portos determinam que navios fiquem no mar a fim de evitar danos às embarcações e aos terminais.

Meteorologistas advertiram moradores próximos de Port Hedland e a leste para o risco de uma perigosa tempestade durante esta madrugada e de chuvas fortes ao longo da região. A chuva no centro e no leste de Pilbara pode ficar entre 100 e 250 milímetros, com risco de enchentes em áreas costeiras baixas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.