Ofensa a presidente dá dor de cabeça a deputado

O deputado republicano Joe Wilson, da Carolina do Sul, fez o que pôde para se livrar das críticas causadas por seu rompante durante o discurso do presidente americano, Barack Obama, no Congresso. Na quarta-feira, quando Obama explicava que a reforma no sistema de saúde não beneficiaria imigrantes ilegais, foi interrompido por um grito de Wilson: "Mentiroso!"

Reuters, WASHINGTON, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2009 | 00h00

Nancy Pelosi, líder dos democratas na Câmara, lançou um olhar fulminante para o deputado. O vice-presidente, Joe Biden, olhou para o chão, balançando a cabeça. Desconcertado, Obama parou por um instante, antes de retomar o raciocínio. Após o discurso, Wilson deixou o plenário sem falar com ninguém e foi bombardeado com críticas por todos os lados. "Estamos todos constrangidos", disse a deputada democrata Maxine Waters. "O presidente merece respeito e decoro", afirmou o senador John McCain, candidato republicano derrotado por Obama.

O número do telefone de Wilson no Congresso e seu endereço de e-mail foram divulgados pelo Twitter - e o deputado passou o dia recebendo xingamentos. Wilson desculpou-se e disse que o grito foi "espontâneo". Ele lamentou ter "se deixado levar pelas emoções". Obama aceitou as desculpas, mas o caso não foi encerrado. O democrata Rob Miller, rival de Wilson na Carolina do Sul, arrecadou US$ 200 mil em 12 horas para derrotá-lo nas eleições do ano que vem. Mas Nancy Pelosi indicou que não punirá o deputado brigão: "É hora de falarmos sobre a reforma da saúde, não sobre Wilson."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.