Ofensa a turistas alemães faz Schroeder cancelar férias na Itália

O chanceler Gerhard Schroeder decidiu cancelar suas férias com a família na Itália e um destacado ministro alemão pediu que o governo italiano demita um funcionário que chamou os turistas alemães de ?louros arrogantes hipernacionalistas?. Schroeder decidiu que a rusga entre a Alemanha e a Itália poderia tornar difícil para e seus familiares terem férias tranqüilas (naquele país), disse o porta-voz do chefe do governo alemão, Bela Anda. Por esse motivo, ?a família resolveu passar as férias toda junta em sua residência em Hanover?, disse Anda em um comunicado. Schroeder, sua esposa Doris e sua filha Clara sseguiriam no próximo fim de semana para a região de Marche, no centro da Itália. Por sua vez, o ministro do Interior germânico, Otto Schily, referindo-se aos comentários feitos pelo funcionário italiano sobre os turistas alemães, disse à televisão ZDF que ?se eu fosse o líder do governo italiano, esse homem não ficaria mais no cargo?. Já o ministro de Relações Exteriores italiano, Franco Frattini, disse estar ?pesaroso? pela decisão de Schroeder. O governo alemão saudou uma tentativa de Frattini e de outros ministros italianos de guardar distância da afirmação feita na semana passada por Stefano Stefani, subsecretário do ministério da Indústria responsável pelo turismo. Dois outros ministros alemães também sugeriram que o governo italiano afastasse o subsecretário Stefani. Na Itália, a coalizão de oposição A Oliveira pediu a remoção de Stefani. Logo após o anúncio de que Schroeder havia cancelado suas férias italianas, em roma o líder da coalizão centro-esquerdista na Câmara dos Deputados, Luciano Violante, disse que apresentará na quinta-feira uma moção pedindo que Stefani seja afastado do cargo. Violante também chamou a atenção sobre os sérios danos que decisão do líder alemão pode ter sobre a indústria de turismo italiana. Stefano Stefani chamou os alemães de ?louros estereotipados com uma arrogância hipernacionalista?em um artigo publicado na semana passada no diário La Padania, o jornal oficial da coalizão de posição anti-imigração e às vezes xenófoba da coalizão Liga Norte, do primeiro-ministro Silvio Berlusconi, em meio ao impasse criado pelo chefe do governo italiano porter comparado um deputado alemão a um chefe nazista. Links relacionados Berlusconi pede desculpas por comentário sobre nazismo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.