Ofensiva americana faz mais de 60 prisões no Iraque

Mais de 60 iraquianos foram presos pelas forças americanas, durante a maciça ofensiva lançada hoje para "esmagar a resistência" de rebeldes. Foram dadas mais de 20 buscas com a participação de unidades aéreas e terrestres, disseram os militares. A movimentação ocorre no centro do Iraque, entre o norte de Bagdá e a fronteira iraniana, e deve durar vários dias."As ações são contra os simpatizantes do derrubadoPartido Baath, contra terroristas suspeitos de perpetrar ataquescontra as forças americanas e também contra ex-dirigentesmilitares iraquianos", indicou um comunicado militar.No início da ofensiva, os americanos detiveram um homem emKhalis, a 70 km ao norte de Bagdá, suspeito de recrutar jovenspara lançar ataques contra as forças de ocupação. Em Dojima, um povoado cujos habitantes sunitas recentemente retiraram um dos poucos retratos de Saddam que continuavam em pé a polícia deu buscas em casas de supostos simpatizantes do antigo dirigente à procura de armas, em especial granadas e lançadores de mísseis.A operação, apelidada "Serpente do Deserto", começou por volta da2h00 desta madruga, com buscas simultâneas em várias casas. "Iniciamos com um poder de combate tão superior que nem sequer (os atacantes) pensam em disparar contra nós", disse o tenente-coronel Mark Young antes do começo da operação.Em Washington, funcionários americanos têm ditorecentemente que não existe uma resistência organizada contra aocupação americana. Os militares ainda não afinaram o discurso. Young reconhece "ações organizadas" por parte dos rebeldes, assim como o capitão John Wrann: "Tem que ser alguma coisa organizada."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.