Ofensiva americana irrita aliados iraquianos da ocupação

A campanha militar americana para erradicar a rebelião sunita baseada em Faluja e os milicianos xiitas que atuam no sul do país está produzindo um alto custo político para os EUA frente a seus aliados na população do Iraque, irritados com a carnificina e surpreendidos pelo que vêem como erros grosseiros do governo americano.A ofensiva contra Faluja se transformou num grito de guerra antimaericano aglutinador de simpatias por todo o Iraque, com as mesquitas pedindo doações de comida, sangue e rmédios para a cidade. Membros do Conselho de Governo do Iraque, composto por iraquianos indicados pelos EUA, culpam uma série de decisões erradas de autoridades americanas pela situação atual, o ponto mais crítico do período de ocupação.Eles dizem que os militares usaram força excessiva e que os administradores civis subestimaram a desconfiança dos iraquianos. Foi o comportamento dos americanos que virou a situação a favor dos adversários da ocupação, inclusive ampliando a influência no país dos rebeldes sunitas e ao clérigo xiita radical Muqtada al-Sadr. ?Tudo indica o fracasso da política de segurança dos americanos no Iraque?, disse Mahmoud Othman, membro do Conselho. ?Os americanos não podem resolver s problemas do Iraque porque ignoram a língua, os costumes e as tradições?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.