Ofensiva contra militantes deixa 50 mortos no Iêmen

ÁDEN - Pelo menos 44 pessoas, inclusive 30 militantes islâmicos, foram mortos no Iêmen, disseram autoridades e moradores nesta terça-feira, em meio a uma nova ofensiva do governo contra insurgentes no sul do país.

REUTERS

15 Maio 2012 | 16h46

Os Estados Unidos intensificaram seus ataques teleguiados contra militantes desde a posse do presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi, em fevereiro, e na semana passada o Pentágono disse ter retomado o envio de instrutores militares ao país árabe.

Os EUA e a Arábia Saudita, vizinha do Iêmen, temem que a Al Qaeda iemenita aproveite a instabilidade no país para se consolidar nos arredores de rotas petrolíferas do Mar Vermelho.

Moradores e autoridades locais relataram intensos combates durante a noite numa área chamada Al Jabalain, no sul do Iêmen, como parte do avanço do Exército para tentar retomar o controle da cidade de Jaar, em poder dos rebeldes.

Os combates continuaram até a manhã de terça-feira, matando pelo menos oito militantes e um soldado, segundo essas fontes, que relataram também a prisão de dois combatentes islâmicos somalis.

Separadamente, um bombardeio da aviação iemenita matou seis civis por engano em Jaar, segundo moradores. Outro bombardeio atingiu dois veículos dos militantes, matando seus sete ocupantes e três outras pessoas, de acordo com as fontes.

Perto de Lawdar (sul), 12 militantes, cinco combatentes tribais aliados ao Exército e dois soldados foram mortos em confronto numa área chamada Jebel Yasuf, segundo uma fonte tribal, que acrescentou que o Exército e seus aliados recuperaram o controle da zona.

Com informações da Efe e Reuters

Mais conteúdo sobre:
IEMEN OFENSIVA MORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.