Ofensiva de Israel não elimina terror, diz Powell

O secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, disse a Israel nesta quinta-feira que as operações militares conduzidas contra os palestinos na Cisjordânia não eliminarão a ameaça do terror. Powell falou de Madri com o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, para definir os locais dos encontros que serão mantidos em Jerusalém, onde o secretário norte-americano chega esta noite. Antes de aterrissar em Jerusalém, Powell irá à Jordânia para reunir-se com o rei Abdullah II. Ele disse que conversou com Sharon sobre a retirada do exército de Israel de duas cidades e 22 vilarejos e que terá uma melhor idéia das objeções de longo prazo de Sharon após ter conversado com o primeiro-ministro israelense. "Enquanto as incursões israelenses continuarem, o problema permanecerá", disse Powell. O secretário norte-americano acrescentou que mesmo que Israel seja eficiente, "ainda haverá pessoas desejando a violência e dispostas aos atentados suicidas. A violência, a fúria e a frustração, que alimentam esses atos, continuarão, a menos que encontremos um processo de negociação" que leve a criação de um Estado palestino. As declarações foram dadas em entrevista junto ao ministro das Relações Exteriores da Rússia, Igor Invanov, após terem chegado a um acordo para reduzir as armas nucleares de ambos países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.