Ofensiva do Estado Islâmico contra minoria pode ser tentativa de genocídio, diz ONU

A campanha de militantes do Estado Islâmico contra a minoria yazidi do Iraque pode ser uma tentativa de genocídio, afirmou o secretário-geral-adjunto de direitos humanos da Organização das Nações Unidas, Ivan Simonovic, nesta terça-feira.

REUTERS

21 de outubro de 2014 | 21h02

"Os fatos estão indicando que as ações contra yazidis podem equivaler a uma tentativa de genocídio", disse ele a um pequeno grupo de jornalistas na ONU depois de voltar de uma visita recente ao Iraque.

O Estado Islâmico, muitas vezes mencionado como Isil ou Isis, avançou em direção à montanha Sinjar, do Iraque, apertando o cerco a milhares de yazidis retidos no local que pediram que os Estados Unidos e seus aliados ajam para evitar mais derramamentos de sangue.

(Reportagem de Louis Charbonneau)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUISLAMICOSYAZIDIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.