Ofensiva em debate dá impulso a Kerry

O senador John Kerry deu novo ímpeto à sua campanha mantendo-se na ofensiva durante os 90 minutos do primeiro de três debates com o presidente George W. Bush, na Universidade de Miami, em Coral Gables, Flórida. Forçado, pela primeira vez a defender a forma como vem conduzindo a campanha global contra o terrorismo e, especialmente, a guerra no Iraque, Bush mostrou-se hesitante e por vezes desconfortável atrás da tribuna, repetindo de forma pouco articulada as críticas que vem fazendo ao adversário. Seria um exagero dizer que o desafiante democrata conseguiu virar o jogo. A julgar, no entanto, pelas primeiras reações, Kerry foi capaz de, pela primeira vez, explicar de forma eficaz nuances de posições que Bush vinha usando para chamá-lo de vacilante. Mais importante que isso, pela primeira vez atacou didaticamente decisões de Bush no Afeganistão e no Iraque ao expor seu argumento de que a estratégia do líder republicano resultou num enfraquecimento tanto da segurança como da credibilidade dos EUA no mundo no momento em que o país mais precisa de aliados. ?O que este debate fez de importante para John Kerry foi despertar as pessoas para aceitá-lo como alternativa e aumentar o interesse pelo próximo debate, na semana que vem?, disse Donna Brazile, que dirigiu a campanha do vice-presidente Albert Gore quatro anos atrás. O senador de Massachusetts dominou a discussão desde o início, respondendo com segurança às competentes perguntas do mediador, o veterano jornalista Jim Lehrer, da rede de televisão pública. Numa das primeiras respostas, Kerry acusou Bush de ter cometido ?um erro colossal de julgamento? ao invadir o Iraque. O presidente respondeu afirmando que ?o mundo é um melhor lugar sem Saddam Hussein?, e lembrou que seu oponente disse o mesmo certa vez. ?Ele votou para autorizar o uso da força e diz agora que se trata da guerra errada na hora errada?, afirmou Bush, referindo-se ao voto que Kerry deu a uma resolução do Congresso, no fim de 2002, autorizando o presidente a ?usar todos os meios necessários? para desarmar o regime iraquiano. ?Não creio que você possa liderar uma guerra que considera errada?, emendou. ?Que tipo de mensagem isso representa para nossas tropas?? Os dois candidatos usaram frases claramente ensaiadas em seu primeiro confronto direto. Embora tenha tentado em alguns momentos desqualificar Kerry para a presidência, repetindo as acusações sobre suas mudanças de posição, Bush ficou a maior parte do tempo na defensiva e não conseguiu fazer o que os ocupantes à Casa Branca que ganharam a reeleição fizeram com sucesso na campanha: passar uma mensagem positiva, de esperança, que convença os eleitores a renovar seu mandato.

Agencia Estado,

01 Outubro 2004 | 01h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.