Ofensiva oficial fragmenta cartéis do país

O cartel dos Caballeros Templarios surgiu em meados deste ano como uma ramificação do cartel La Familia Michoacana. Segundo relatório publicado no início do mês pelo governo mexicano, o La Familia Michoacana foi extinto quase que por completo - uma parte pequena da organização formou o Caballeros Templarios, enquanto outros integrantes juntaram-se aos cartéis do Pacífico e dos Zetas.

Renata Miranda, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2011 | 00h00

"Há um processo de pulverização de organizações criminais no México", explicou o especialista em segurança Erubiel Tirado. "Essa nova tendência, no entanto, prolonga o conflito e a crise de insegurança." De acordo com Tirado, o tipo de combate ao narcotráfico exercido pelo governo do presidente Felipe Calderón está mudando a natureza e a estrutura das organizações criminosas do país.

"De extensas e verticais, elas passam a ser múltiplas e horizontais e têm o controle e a liderança descentralizados", afirmou o especialista. Dessa maneira, segundo ele, a detenção desses grupos é mais difícil porque o governo ainda não adaptou sua estratégia de combate às novas circunstâncias. Segundo ele, o governo caça os líderes das organizações mas não as desarticula.

"A conclusão que chegamos é que o plano de ação do governo não é eficaz porque não acaba com a insegurança, com os grupos armados ou com a "narcopolítica"", disse Tirado. "Pelo contrário, ao focar sua estratégia somente na perseguição de líderes de cartéis, o governo contribui para a fragmentação desses grupos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.