Ofensiva principal ainda não começou, diz Washington

Autoridades norte-americanas em Washington disseram que os primeiros ataques ao Iraque não significam que a principal ofensiva aérea começou. Eles disseram que é possível que outros ataques limitados sejam lançados antes de uma ofensiva muita maior. O anúncio dos ataques parece ter pego incialmente as autoridades britânicas de surpresa, que, segundo a imprensa, foram avisadas apenas poucas horas antes da ofensiva norte-americana. Mas o secretário da Defesa, Geoff Hoon, disse posteriormente que a Grã-Bretanha foi "totalmente informada" pelos EUA antes sobre o ataque e esteve envolvida no mesmo. O primeiro tenente Peter Darling, porta-voz das forças militares britânicas em Camp As Ayliyah, o posto de comando no Golfo para o comando central dos EUA, destacou que as hostilidades haviam começado, mas "este não é o começo da guerra". "Estes ataques aéreos estão tirando vantagem de uma janela de oportunidade com base em informes da inteligência", ele disse.O Pentágono havia dito que a campanha contra o Iraque iria chocar as forças iraquianas com uma barragem de bombas e mísseis para convencer as tropas iraquianas que elas não podem ganhar. No entanto, os primeiros ataques envolveram cerca de 40 mísseis Tomahawk e várias bombas de precisão guiadas tendo como alvo Saddam Hussein e outros líderes iraquinos perto de Bagdá.Autoridades norte-americanas disseram que Washington realizou o ataque de ontem porque tinha informação de inteligência específica sobre a localização dos líderes iraquianos.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.