Oferta de paz de Putin não dá resultado

Faltando apenas um dia para o fim do ultimato dado pelo presidente russo Vladimir Putin aos rebeldes chechenos, o enviado do Kremlin à Chechênia, Viktor Kazantsev, falhou hoje na tentativa de atrair líderes rebeldes para a mesa de negociações. Kazantsev, que já ocupou o cargo de comandante das forças russas na Chechênia, foi enviado à república rebelde depois da oferta de negociações feita por Putin na segunda-feira - a primeira proposta do tipo em dois anos de guerra.Um dos mais importantes líderes rebeldes chechenos, Aslan Maskhadov, recebeu a oferta do Kremlin como "uma chance real de conversação sobre uma paralisação rápida das ações militares". Maskhadov desempenhou um papel-chave na derrota das tropas russas e nas negociações para o fim da guerra na Chechênia (1994-96), mas sua autoridade sobre os rebeldes ficou abalada desde então.Ele apontou Akhmed Zakayev, vice-premier no governo rebelde, como enviado às conversações de paz, mas não houve informação hoje sobre uma aproximação de Zakayev das autoridades federais.Kazantsev encontrou-se com oficiais pró-Kremlin para tentar um plano de desarmamento rebelde, e afirmou esperar realizar alguns encontros nesta quinta-feira com representantes dos insurgentes. No entanto, ele insistiu que se os rebeldes não aparecerem para as negociações, "eles serão destruídos".Na frente de guerra, os conflitos continuaram hoje, com os rebeldes bombardeando postos russos pelo menos 16 vezes. Um soldado russo morreu nos ataques. Outros três ficaram feridos em explosão de minas terrestres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.