Ohio aprova evolução em livros de ciência

O comitê de educação do Estado norte-americano de Ohio aprovou, por unanimidade, a adoção de normas didáticas que defendem o ensino da da evolução, para que os alunos possam discutir abertamente sobre a legitimidade da teoria. A adoção dos novos padrões não exige que seja ensinado e caia em provas o conceito de "Inteligência Superior", o qual sustenta que o universo é guiado por um Ser Superior. A decisão foi aprovada por 18 votos a favor e nenhum contra, na ausência de um dos membrso do comitê. Em outubro, a comissão havia indicado que poderia adotar novos padrões. O comitê vinha discutindo desde janeiro a aprovação de um novo currículo para o ensino de ciências, que os professores seriam incentivados - mas não obrigados - a seguir, porque seria a base para novos exames a que os estudantes devem se submeter para se formar. De acordo com os novos padrões, a teoria da evolução fará parte dos temas que farão parte das provas - o que significa que os estudantes de escolas que se negam a ensinar a teoria de Charles Darwin ficarão em desvantagem. As escolas locais também poderão decidir quanto a ensinar ou não o conceito da "Inteligência Superior" - a idéia de que a vida deve ter sido criada por um poder maior não-especificado, já que ela é tão complexa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.