Oitavo suspeito de atentados foi preso na Austrália, diz polícia

Homem tem 27 anos e é médico em um hospital na cidade de Southport

Agencia Estado

03 Julho 2007 | 15h26

O oitavo suspeito de envolvimento nos atentados frustrados em Londres, na sexta-feira, e no aeroporto de Glasgow (na Escócia), no sábado, foi preso pela polícia australiana na cidade de Brisbane. O homem foi detido no aeroporto de Brisbane quando tentava deixar a Austrália.Segundo o secretário de Justiça da Austrália, Philip Ruddock,o suspeito tem 27 anos e é médico em um hospital na cidade de Southport, em Queensland, mas não tem cidadania australiana.A polícia australiana agiu com base em informações de inteligência fornecidas por autoridades britânicas.Outras sete pessoas são mantidas sob custódia por envolvimento nas tentativas de atentado, todas elas na Grã-Bretanha.MédicosPelo menos outros dois dos presos até agora também foram identificados como médicos - o iraquiano Bilal Abdullah e Mohammed Asha, que cresceu na Jordânia.Abdullah trabalhava cobrindo folgas de outros médicos no Hospital Royal Alexandra, que fica perto do prédio do aeroporto de Glasgow que foi alvo de ataque. Asha, por sua vez, trabalhava em dois hospitais na cidade de Telford (oeste da Inglaterra). Com ele, foi detida uma mulher que pode ser a esposa.Um outro homem preso em Glasgow permanece internado com queimaduras graves. Ele e Abdullah estavam no carro usado no ataque - um jipe modelo Cherokee que explodiu na tentativa de invasão do terminal principal do aeroporto.O homem está internado no Hospital Royal Alexandra, onde Abdullah trabalhava. A polícia realizou buscas e algumas explosões controladas na área do hospital - que permanece aberto - e disse não haver qualquer indicação de ameaça ao local.Outros dois suspeitos foram presos na cidade de Paisley, na região metropolitana de Glasgow, e um em Liverpool. De acordo com a polícia, nenhum dos suspeitos seria de origem britânica. Informações obtidas pela BBC dizem que suas nacionalidades seriam de países do Oriente Médio.PistasOs investigadores que trabalham no caso afirmam que as duas tentativas de atentado, em Londres e em Glasgow, estão relacionadas.O governo britânico elevou o nível de segurança de "severo" para "crítico" - o mais alto nível de risco na escala do país, que indica que um ataque pode estar "iminente". A ministra do Interior britânica, Jacqui Smith, disse no Parlamento que policiais já vasculharam 19 locais atrás de pistas sobre os atentados.A ministra também revelou que, após os atentados fracassados, o governo britânico agora quer ampliar o poder das leis de segurança em vigor - entre elas as que regulam como suspeitos podem ser mantidos sob custódia sem terem sido formalmente acusados de um crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.