, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2010 | 00h00

Em 2 de março de 1998, a menina de 10 anos some a caminho da escola. Amiga diz que um homem colocou Natascha em um furgão branco

Investigações

Policiais interrogaram mil donos de veículos, incluindo o sequestrador, o engenheiro Wolfgang Priklopil. Sua casa em Strasshof, a 16 km da cidade onde a criança vivia, nunca foi revistada

Ajuda materna

A mãe de Priklopil, apesar de visitá-lo nos fins de semana e ajudar a limpar a casa e cozinhar, não sabia sobre a garota escondida pelo filho

Violência

Jovem era obrigada a chamá-lo de "meu senhor" ou "mestre". Quando adolescente, decidiu enfrentá-lo e passou a ser espancada, ficar noites trancada no escuro e sem comer. Aos 14 anos, chegou a tentar suicídio

Trabalhos forçados

Natascha era levada para o andar superior da casa para serviços de limpeza. A jovem era obrigada a trabalhar seminua e sem olhar para o sequestrador, ou seria agredida

Cativeiro

A menina é levada para um quarto construído embaixo da garagem, uma espécie de cofre com 25 metros quadrados, à prova de som e sem janelas, com uma cama, uma pia e um vaso sanitário. A comunicação era feita por um interfone

Abuso sexual

Natascha diz que eram insignificantes. Ele chegou a algemá-la para que ela dormisse abraçada a ele

Saídas

Deixou o cativeiro 13 vezes. Seu raptor a levava a esquia. Na maioria das vezes, trabalhou na reforma de flats, fazendo trabalhos pesados. Numa das saídas, chegaram a ser parados em uma blitz por um policial

Fuga

Aos 18 anos, Natascha limpava o carro do sequestrador quando ele se afastou para usar telefone, por causa do barulho causado pelo aspirador de pó. A menina aproveitou a ausência e fugiu

Suicídio

Quando percebeu a fuga de Natascha, Priklopil, aos 44 anos, confessou o crime a um amigo e cometeu suicídio atirando-se numa linha de trem

Identificação

Teste de DNA comprovou a identidade de Natascha

Programa de TV

Dois anos depois da fuga, a menina estreia um programa de entrevistas em uma emissora de TV austríaca. Ex-piloto Nikki Lauda foi o primeiro entrevistado

Dona da prisão

Jovem compra a casa em que viveu presa por 8 anos para evitar a curiosidade da população

Acusações contra a mãe

Brigitte Sirny, mãe da jovem, foi acusada de planejar o sequestro para acobertar supostos abusos sexuais. A polícia encontrou fotos de Natascha seminua na casa da mãe, que foi inocentada

Biografia

Quatro anos depois de escapar de seu sequestrador, Natascha lança livro contando como foi a vida no cárcere para que as pessoas saibam a sua versão da história. O caso também inspirou um filme, que deve ser lançado em 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.