Oito hindus morrem na região da Caxemira

Pelo menos oito pessoas morreram e outras 27 ficaram feridas na madrugada desta terça-feira no lado indiano da Caxemira em um ataque de radicais islâmicos contra peregrinos hindus que se dirigiam à gruta Amarnath, informaram policiais indianos. Os rebeldes muçulmanos lançaram granadas e atiraram nos peregrinos que estavam dormindo no acampamento de Nunwan, próximo de Pahalgam, no Himalaia. Um porta-voz da polícia disse que um dos agressores foi morto por militares que estavam na área. Desde 15 de julho, aproximadamente 15 mil homens estão nos 300 km que são percorridos por milhares de fiéis que fazem anualmente a peregrinação até Amarnath. Nova Délhi afirma que não diminuirá seus efetivos na fronteira até que o Paquistão tome medidas eficazes contra os radicais muçulmanos em Jammu e na Caxemira. Só no ano passado, os rebeldes mataram 29 peregrinos. Horas mais tarde, em Handwara, a 95 km ao norte de Srinagar, um outro confronto entre muçulmanos e soldados indianos, deixou mais três mortos, dois rebeldes e um militar indiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.