EFE/EPA/DARREN ABATE
EFE/EPA/DARREN ABATE

Nove imigrantes morrem em travessia ilegal para os EUA

Corpos foram achados em caminhão na cidade de San Antonio, no Texas, próximo à fronteira com o México; pelo menos outras 20 pessoas, com idade entre 20 e 30 anos, foram hospitalizadas em estado grave

O Estado de S.Paulo

23 Julho 2017 | 07h36
Atualizado 23 Julho 2017 | 22h47

SAN ANTONIO, EUA - Nove pessoas morreram e e 28 pessoas feridas, em um caminhão que fazia a travessia do México para os Estados Unidos. Eles estavam presos no veículo, estacionado em um centro comercial de San Antonio, perto da frontetira do México, informaram as autoridades.

Os feridos, vinte deles em estado grave, foram levados a sete hospitais da região, informou o chefe de polícia de San Antonio, William McManus, e o responsável do Corpo de Bombeiros, Charles Hood. Segundo McManus, o motorista do caminhão foi preso.

O alerta foi dado por um funcionário do Walmart, o supermercado em frente ao qual o caminhão estava estacionado. Uma das pessoas no caminhão pediu água a esse funcionário.

O funcionário deu a água e depois chamou a polícia, que encontrou oito pessoas mortas na parte traseira, disse o delegado, que qualificou o caso de tragédia terrível.

Segundo McManus, as câmeras de seguranças mostram que vários veículos ajudaram socorrer as pessoas que estavam dentro do caminhão sem ar condicionado. “Estamos investigando se trata-se de um delito de tráfico de pessoas”, acrescentou a polícia, que notificou o caso aos serviços de imigração.

San Antonio fica a poucas horas de carro da fronteira com o México. O clima na região está seco e bem quente. Este não foi, segundo a Polícia, um caso isolado. “Isso ocorre com frequência durante a noite”, disse McManus.

Migrantes, principalmente provenientes do México e da América Central, cruzam clandestinamente a fronteira americana todos os dias. No trajeto são levados por traficantes de pessoas conhecidos como “coiotes. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Texas Polícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.