Oito policiais são mortos na Colômbia

Oito policiais colombianos foram mortos esta quarta-feira, emboscados por guerrilheiros das FARC, no município de Fortul, no nordeste do país, quando levavam um soldado ferido por um comando rebelde ao hospital. Outros dois agentes ficaram feridos no ataque, e estão sendo atendidos num centro médico da cidade. O ataque começou quando um esquadrão das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) disparou contra o posto policial de Fortul, ferindo um dos agentes. Os outros soldados da base decidiram levar o policial ferido a um hospital do povoado, e foram emboscados no caminho por um comando guerrilheiro. Os rebeldes atacaram a patrulha com tiros de fuzil e pistola. Nenhum guerrilheiro foi ferido. Em um outro incidente no dia de ontem, três técnicos da Agência de Cooperação Alemã (GTZ), entidade que dá assessoria às comunidades indígenas do sul da Colômbia, foram seqüestrados por supostos guerrilheiros das FARC. As comunidades indígenas da região deram início a uma operação de resgate para encontrar os estrangeiros. Na zona, operam vários grupos guerrilheiros das FARC. A polícia colombiana abandonou a região há dois anos, por causa das violentas arremetidas da guerrilha. A GTZ já trabalha há mais de dois anos prestando ajuda especializada às comunidades da região na colheita do café orgânico, de árvores frutíferas e cultivos alternativos. As FARC - a maior e mais antiga e guerrilha rebelde da Colômbia, com 16.500 combatentes e 37 anos de luta revolucionária - estão comprometidas desde janeiro de 1999 num processo de paz com o governo do presidente Andrés Pastrana. Entretanto, a situação no país continua problemática. O Exército matou 442 guerrilheiros e 64 paramilitares entre janeiro e junho deste ano, período em que foi registrada uma redução de 28% dos casos de seqüestro no país em comparação com o primeiro semestre do ano passado. Segundo balanço de operações divulgado esta quarta-feira pelo Centro de Informação e Estatística do Ministério da Defesa, no primeiro semestre do ano passado houve 1.833 seqüestros, número que caiu para 1.327 nos últimos seis meses. No primeiro semestre de 2001 os militares prenderam 865 rebeldes e apreenderam 999 armas de fogo de diferentes tipos, 208.969 cartuchos de munição, 258 equipamentos de comunicação, 381 veículos e 20 barcos. O comunicado dá conta ainda da apreensão, nos últimos seis meses, de 23.011 quilos de cocaína, 304.860 quilos de folha de coca, 10.221 quilos de base de coca, 47.326 de maconha e 341 quilos de heroína. Paramilitares - Autoridades colombianas afirmaram, nesta quarta-feira, que membros de esquadrões paramilitares são os possíveis responsáveis pelo seqüestro de 10 adolescentes que estavam em um centro de reabilitação de menores. O seqüestro aconteceu na noite da terça-feira, quando um grupo armado - que se identificou como Autodefesa Unida da Colômbia (AUC) - invadiu o centro em Villavicencio, capital do departamento de Meta. Os educadores - que estavam no local e foram amordaçados, amarrados e vendados - disseram que o grupo levou oito meninos e duas meninas entre 12 e 18 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.