Oito soldados americanos morrem em mais um dia violento no Iraque

Pelo menos oito soldados americanos morreram nas últimas 24 horas no Iraque em cinco incidentes diferentes, informou nesta segunda-feira o comando militar americano em várioscomunicados.Segundo comunicado militar mais recente, um soldado do Exército dos Estados Unidos morreu nesta segunda por causa dos ferimentos sofridos após a explosão no domingo de uma bomba embaixo de seu veículo, em Bagdá.Além disso, outro comunicado informou que um soldado morreu no domingo em Bagdá devido à explosão de uma bomba enquanto fazia uma patrulha. A nota não dá mais detalhes do incidente e afirma apenas que está sendo investigado.Antes, outra nota do comando militar informara que quatromilitares morreram no domingo, quando o veículo em que estavam foi atingido pela explosão de uma bomba. O incidente ocorreu no norte de Bagdá, diz a nota, que também não dá mais detalhes.Em outro comunicado, o comando militar explica que outros dois soldados morreram no domingo em diversos incidentes ocorridos na capital iraquiana. Um militar morreu por causa da explosão de uma bomba no oeste de Bagdá, enquanto o segundo morreu quando foi atacado com armas automáticas no leste da capital, afirmou a fonte.Mais de 2.600 soldados americanos morreram no Iraque desde a invasão, em março de 2003, e a posterior ocupação do país. Dia violentoUm ataque suicida em Bagdá e confrontos desde a noite de domingo entre soldados americanos e iraquianos contra o "Exército Mehdi", milícia do clérigo rebelde xiita Moqtada al-Sadr já deixaram pelo menos 50 mortos no país nesta segunda-feira.Quinze mortes aconteceram durante o atentado nas imediações do Ministério do Interior em Bagdá. O ataque aconteceu justamente quando se realizava na sede do Ministério uma reunião de vários responsáveis de segurança do país, convocados pelo ministro do Interior, Jawad Bulani, para analisar o aumento da violência no Iraque nos últimos dias. Trinta e cinco pessoas ficaram feridas.No sul de Bagdá, em Diwaniya, onde nesta segunda foi decretado um toque de recolher, acontecem confrontos desde a noite de domingo depois da detenção no sábado de um líder do "Exército Mehdi" por parte de soldados iraquianos. Depois que as tentativas para libertar o líder da milícia fracassaram no domingo, membros do "Exército Mehdi" atacaram uma base da Guarda Nacional na cidade com bombas. Pelo menos 35 pessoas já morreram, entre elas 25 soldados iraquianos, oito civis e dois milicianos xiitas. Pelo menos outras 70 ficaram feridas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.