Oito trabalhadores de etnia hindu são mortos em Assam

Oito trabalhadores de etnia hindu foram mortos em dois ataques no estado de Assam, no nordeste da Índia, apesar da garantia de proteção do Governo após os massacres perpetrados nessa região nos últimos dias, informou nesta segunda-feira a emissora de televisão "NDTV".Os trabalhadores, originais do estado nortista de Bihar, foram mortos nos distritos de Sibsagar e Dibruagarh. Suas mortes se somam às 49 contabilizadas até este domingo por causa da onda de violência que castiga Assam há quatro dias, supostamente por causa do grupo armado independentista Frente de Libertação Unido de Assam (Ulfa).Os alvos dos ataques são, aparentemente, imigrantes de etnia hindu procedentes de outros estados da Índia. Os massacres foram condenados pelos principais líderes políticos e sociais do país, incluindo o presidente, Abdul Kalam, que no fim de semana passado deplorou o "desumano" assassinato de civis inocentes.O Ulfa, que pegou em armas em 1979, é o principal grupo separatista das 25 organizações armadas que atuam em sete estados do nordeste da Índia, cujo objetivo é conseguir a independência ou uma ampla autonomia de seus territórios.Estes grupos, muitos deles tribais, acusam as autoridades de Nova Délhi de explorar seus recursos naturais e promover o assentamento de colonos de outras zonas do país, enquanto desatendem o desenvolvimento destas áreas e de sua população nativa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.