Oklahoma fará testes em 7 mil pacientes expostos a vírus HIV e hepatite

Um centro de saúde em Tulsa, Oklahoma, começou a recolher amostras de sangue neste sábado de pacientes que podem ter sido expostos a vírus em uma clínica cirúrgica dental que está sob investigação.

Reuters

30 de março de 2013 | 13h06

Até sete mil pacientes do escritório do Dr. Scott Harrington foram notificados por cartas de autoridades sanitárias que recomendava que eles fizessem testes para hepatite e HIV.

A investigação começou quando um dos pacientes de Harrington teve um resultado positivo para um teste de HIV e hepatite. Mas um teste posterior mostrou que o paciente havia tido resultado positivo apenas para a hepatite C, disseram autoridades do departamento de saúde de Tulsa em comunicado à imprensa no sábado.

Mesmo assim, uma queixa aberta no Conselho Dental de Oklahoma acusa Harrington de uma série de violações sanitárias que geraram risco de contaminação para seus pacientes. Ele deve aparecer em uma audiência no conselho no dia 19 de abril, e espontaneamente ele fechou seu consultório dentário e entregou sua licença.

Aos pacientes de Harrington, estão sendo oferecidos exames de sangue gratuitos nos centros North Regional Health e Wellness Center, em Tulsa.

Uma linha direta também foi criada para responder questões e mais de 400 pessoas já recorreram a ela até o momento, disseram as autoridades.

(Reportagem de Steve Olafson)

Tradução Redação São Paulo 5511 5644-7754

REUTERS FG

Mais conteúdo sobre:
GERALOKLAHOMAHIV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.