Óleo de cozinha recolhido do lixo faz China prender 52

A polícia chinesa prendeu 52 pessoas que produziam e vendiam óleo de cozinha recolhido do lixo de restaurantes, disse a imprensa estatal nesta terça-feira, em mais um escândalo envolvendo a segurança dos alimentos no país.

REUTERS

20 de dezembro de 2011 | 09h29

Os investigadores descobriram que uma empresa da província de Jiangxi (sul) fabricou mais de 2.000 toneladas de "óleo de sarjeta" desde 2010, vendendo o material a uma empresa de processamento de alimentos na vizinha província de Guangdong, disse a agência oficial de notícias Xinhua.

O óleo era então vendido a restaurantes da região, após ser "misturado com óleo de cozinha de qualidade e rotulado com marcas não registradas", informou a agência.

Escândalos envolvendo óleo de cozinha se tornaram corriqueiros na China nos últimos anos, e fotos de óleo sendo tirado de ralos já circularam pela internet, causando indignação popular e contrariando as afirmações de que o governo está zelando pela segurança dos alimentos.

(Reportagem de Sally Huang e Ben Blanchard)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAOLEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.