Olmert busca apoio a sanções contra Teerã

O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, reuniu-se ontem com o presidente russo, Vladimir Putin, e pressionou Moscou a respaldar novas sanções contra Teerã por causa de seu programa nuclear. Olmert também pediu à Rússia que não venda armas ao Irã e à Síria. O governo de Israel está preocupado com o acordo de armas assinado recentemente entre a Rússia e a Síria. Durante o breve encontro em Moscou, Putin prometeu dar informações ao líder israelense sobre sua visita a Teerã. Ele também reconheceu a preocupação de Olmert sobre o programa nuclear iraniano, que para Israel e os Estados Unidos tem como objetivo a fabricação de armas atômicas. "Sei como o senhor se preocupa a situação em torno do programa nuclear do Irã e estou disposto a compartilhar os resultados de minha visita a Teerã", disse Putin a Olmert.Segundo os jornais israelenses, a visita de Olmert à capital russa faz parte dos esforços diplomáticos de Israel para conter o programa nuclear do Irã e fazer com que as Nações Unidas imponham novas sanções ao governo de Teerã. O encontro ocorreu em meio à resistência da Rússia em apoiar novas sanções ao Irã por causa da recusa iraniana em suspender seu programa de enriquecimento de urânio. Na reunião no Kremlin, Olmert "manifestou sua opinião de que sanções efetivas de toda a comunidade internacional teriam o poder de impedir o Irã de seguir o caminho nuclear", assinalou uma porta-voz do governo israelense.Em meio à campanha israelense, a chanceler Tzipi Livni viajará no fim de semana para a China, para tentar persuadir as autoridades chinesas a não vetar novas sanções contra Teerã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.