Olmert convida países árabes para conferência de paz

O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, convidou neste domingo, 1, os líderes de todos os países árabes para uma conferência regional para discutir a paz no Oriente Médio.De acordo com Olmert, a idéia é que os líderes se reúnam com ele e com Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Nacional Palestina, para falar livremente e discutir as opiniões para solucionar o conflito árabe-israelense.A declaração foi feita numa entrevista coletiva conjunta concedida ao lado da chanceler alemã Angela Merkel. No encontro em Jerusalém, Olmert disse que estava aproveitando a presença da atual presidente da União Européia para fazer este convite."Eu gostaria de aproveitar esta importante oportunidade de estar com a presidente da UE para convidar todos os chefes de Estado árabes, inclusive o rei da Arábia Saudita, para uma conferência", declarou Olmert. A Alemanha ocupa atualmente a presidência de turno da União Européia.Segundo ele, cada lado deveria levar à mesa de negociações suas exigências sem tentar ditar os termos.Na semana passada, a Liga Árabe reapresentou uma proposta originalmente formulada pela Arábia Saudita em 2002 por meio da qual os países árabes oferecem a Israel reconhecimento pleno em troca da retirada de todos os territórios capturados pelos israelenses em 1967 e de uma "solução justa" em torno da questão dos refugiados palestinos.Olmert elogiou a reapresentação da oferta saudita, mas manifestou restrições de Israel com relação a alguns temas.Na coletiva, o primeiro-ministro também negou rumores de que estaria sendo planejada uma ofensiva coordenada na qual os Estados Unidos atacariam o Irã e Israel atacaria a Síria e o Líbano simultaneamente.Rejeição ao HamasAngela Merkel decidiu se reunir apenas com o moderado Abbas durante sua visita à região e evitar todos os outros membros do novo governo de união nacional palestina, que tem integrantes do grupo islamita Hamas, informaram fontes da delegação da Alemanha.A chanceler vai evitar o diálogo com membros do Hamas, que não aceitam a existência de Israel e não cessam os conflitos violentos no Oriente Médio. Merkel reúne-se com Abbas ainda neste domingo na cidade de Ramala, na Cisjordânia.O ministro da Economia da ANP, Ziad Zaza, do Hamas, pediu que a chanceler alemã não seguisse os passos de Israel e dos Estados Unidos, e se reunisse com ministros do novo Governo de coalizão independentemente de sua filiação política.Iniciativa de pazO presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, pediu neste domingo que o governo israelense responda à iniciativa de paz aprovada esta semana pela Liga Árabe.Em entrevista coletiva conjunta com a chanceler alemã, Angela Merkel, Abbas pediu ao governo israelense "que tome medidas positivas para responder à iniciativa lançada pelos países árabes".O governo israelense fez uma avaliação positiva sobre a proposta, lançada por iniciativa da Arábia Saudita, mas ainda não há nenhuma resposta oficial elaborada.Além disso, persistem divergências em torno da questão dos refugiados palestinos, pois o governo israelense rejeita o direito ao retorno para os que abandonaram Israel durante a guerra de criação do Estado judeu e para os descendentes daqueles, um grupo que totaliza mais de quatro milhões de pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.