Olmert desmente que vá pedir renúncia de ministro da Defesa

O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, desmentiu nesta quinta-feira as informações de que havia decidido pedir a seu ministro da Defesa, Amir Peretz, que assuma outra pasta ou abandone o governo. "O escritório do primeiro-ministro deseja esclarecer que, ao contrário de informações da televisão, o primeiro-ministro Ehud Olmert não decidiu demitir o ministro da Defesa, Amir Peretz, nem transferi-lo para outro cargo", diz um comunicado emitido nesta noite. A nota acrescenta que "esta questão, no que concerne ao escritório do primeiro-ministro, não está na agenda".O Canal 2 da televisão pública israelense informou nesta quinta-feira que Olmert pensava pedir a renúncia de Peretz ou levá-lo a aceitar outro cargo. A emissora citava fontes não especificadas do escritório do primeiro-ministro.Peretz, que é líder do Partido Trabalhista, assumiu o ministério da Defesa na coalizão de governo liderada pelo partido de Olmert, Kadima, apesar de ter pouca experiência militar e a que suas prioridades até então tinham sido os assuntos sociais.Desde a guerra do Líbano, a primeira que Israel não ganhou, se repetiram os pedidos de renúncia de Perezt, mas também de Olmert edo chefe das forças Armadas Dan Halutz. Segundo uma pesquisa publicada por ocasião do primeiro aniversário da chegada de Olmert ao poder, que ocorre nesta quinta - quando se completa um ano do afastamento de Ariel Sharon, que está em coma - 77% dos israelenses estão descontentes com o trabalho do chefe do governo, mas 45% dizem que melhoraria sua opinião se Peretz renunciasse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.