Olmert diz aos pais dos soldados que vai dialogar com Hezbollah

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, assegurou neste domingo aos pais dos soldados seqüestrados pelo Hezbollah que vai conversar com a milícia xiita libanesa para obter a liberação, segundo a edição eletrônica do jornal Haaretz. Olmert se reuniu na manhã deste domingo com os pais dos soldados Eldad Regev e Udi Goldwasser, seqüestrados no dia 12 de julho pelo Hezbollah, num encontro que também teve a presença do titular de Defesa, Amir Peretz.O primeiro-ministro informou às famílias sobre a resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU, que insiste que Israel e Hezbollah negociem um cessar-fogo e também sobre os passos que o governo está tomando para conseguir a liberação dos dois soldados que estão nas mãos da milícia libanesa, assim como de Guilad Shalit, o militar seqüestrado no último dia 25 de junho, em Gaza, pelo grupo do Hamas.A resolução 1701 libera as partes do conflito de promover um cessar das hostilidades e também faz um pedido para que sejam liberados os soldados seqüestrados pelo Hezbollah, questão que aparece no preâmbulo, mas não nas cláusulas vinculantes.A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, manifestou em entrevista concedida ao Canal 1 da televisão israelense que, embora a questão da liberação do dois soldados capturados pelo Hezbollah apareça só no início da resolução, é parte integrante do texto e uma condição que deve ser cumprida.Uma fonte diplomática disse que Israel não tem informação sobre a morte dos militares, mas parte da premissa de que estejam vivos. Também revelou que o Exército israelense lançou operações de alto risco para conseguir informações sobre os soldados, mas sem sucesso.O principal obstáculo para a liberação dos soldados é a exigência do Hezbollah de que seja solto oficialmente Samir Kuntar, responsável pela morte de três membros da mesma família e um policial na cidade israelense de Naharía, em 1979.Na última troca diplomática de presos árabes pela devolução dos cadáveres de três soldados e a liberação de um empresário israelense, em 2004, Israel condicionou a liberação de Kuntar só se recebesse por parte do Hezbollah a informação concreta e fidedigna sobre o paradeiro do aviador Ron Arad, desaparecido em 1988.A fonte acrescentou que a liberação de Kuntar "ainda não foi analisada" nos atuais diálogos para a liberação dos presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.