Olmert diz que apoiaria ajuda humanitária a palestinos

O primeiro ministro israelense, Ehud Olmert, afirmou que tem vontade de apoiar um esforço da União Européia para arrecadar ajuda humanitária aos palestinos, com a condição de que a quantia não fosse usada para pagar o salário de funcionários públicos do país. Olmert, que desembarca na terça-feira em Paris para sua primeira visita à França, mencionou ao jornal Le Figaro que quer, além de conselhos do presidente francês Jacques Chirac, conversar sobre seus temores por Israel.Várias semanas atrás, Chirac apelou à comunidade internacional para estabelecer um fundo no Banco Mundial para pagar salários aos palestinos. Tal medida tem como objetivo prevenir uma crise humanitária sem financiar o governo do Hamas - que foi ao poder em março.Os dois líderes aparentemente não entram em acordo quando o assunto é o pagamento dos salários de palestinos pela União Européia."Estamos prontos para participar em iniciativas (...) com a condição de que o dinheiro não seja gasto com salários administrativos e que não haja ajuda direta ou indireta às agências governamentais", disse Olmert ao Le Figaro.Desde que o Hamas subiu ao poder, os países da União Européia, os Estados Unidos e Israel impuseram um boicote econômico aos palestinos. Por este motivo, o governo do Hamas passa por dificuldades que impossibilitam o pagamento de três meses de salários a 165 mil empregados.A comunidade internacional está, a cada dia, mais dividida sobre as quantias de ajuda humanitária que devem ser estendidas à Gaza e à Cisjordânia.Israel e os Estados Unidos são severos, enquanto a União Européia e a Rússia expressam uma crescente preocupação sobre uma iminente crise humanitária no território palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.