Olmert: Hamas é inimigo, mas não todos os palestinos

O primeiro-ministro interino de Israel, Ehud Olmert, advertiu nesta quarta-feira que não considera todos os palestinos como inimigos, mas pediu ao líder palestino Mahmoud Abbas que exija que o novo governo mantenha os acordos firmados com Israel em regimes anteriores. A posição de Olmert difere da ministra do Exterior, Tzipi Livni, que considera Abbas irrelevante após a vitória do Hamas. "Esperamos que Abu Mazen (Abbas) tenha a força e coragem e cumpra suas obrigações com o mapa do caminho", disse o primeiro-ministro referindo-se ao plano de paz para o Oriente Médio. Segundo ele, os israelenses não devem considerar todos os palestinos como inimigos, mas sim o Hamas. Olmert disse ainda que Israel iria perseguir uma oportunidade de paz, mas ao mesmo tempo lutará contra o terrorismo. Ele apontou o exemplo de militantes em Gaza que dispararam foguetes caseiros contra Israel. "Ninguém que dispara um foguete Qassam terá um momento de descanso, por isso iremos procurá-lo em todos os lugares, encontrá-lo e assegurar com que nunca faça isso de novo".

Agencia Estado,

01 Março 2006 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.