Olmert: Ofensiva continuará até o envio de força internacional ao Líbano

A ofensiva militar no sul libanês contra a milícia do grupo xiita Hesbollah continuará até o envio de uma força multinacional para a fronteira entre Israel e Líbano, afirmou nesta quarta-feira o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert.Em declarações divulgadas no site do jornal "Ha´aretz", Olmert disse também que o Exército israelense desmantelou a infra-estrutura de combate do Hesbollah no sul do Líbano.As declarações de Olmert acontecem após a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, ter dito ontem a representantes do Governo israelense que a campanha militar só poderia continuar "por mais alguns dias".Segundo a rádio pública israelense, é a primeira vez que os EUA "dão um prazo" para a conclusão das operações militares no Líbano, após ter apoiado Israel no desmantelamento da milícia xiita.O vice-primeiro-ministro israelense Shimon Peres disse ontem a Rice, em Washington, que a campanha militar no Líbano se prolongará "por semanas", pois "não tem sentido um cessar-fogo antes da constituição de uma força internacional".Para a rádio pública israelense, Israel não pode aceitar "um vazio" entre o cessar-fogo e o envio da força multinacional - ainda não organizada -, pois o Hesbollah poderia se aproveitar para retomar suas posições no sul.O objetivo da força armada seria manter os milicianos longe da fronteira, a fim de estabelecer uma "faixa de segurança" e possibilitar que o Exército libanês controle a região.Estes são os objetivos aprovados em setembro de 2004 pelo Conselho de Segurança da ONU na resolução 1559, que também pede que o Governo de Beirute desarme o Hesbollah e outras milícias libanesas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.