Olmert quer manter três maiores assentamentos na Cisjordânia

Em sua primeira entrevista televisiva desde que assumiu o poder no mês passado, o primeiro-ministro interino de Israel, Ehud Olmert, disse que irá manter todos os blocos de assentamentos localizados na fronteira com a Jordânia. Essa é a mais clara indicação da maneira como o estado judeu planeja desenhar suas fronteiras finais, um tema que será central para o partido de Olmert, o Kadima, nas eleições de 28 de março. O Kadima é favorito nas pesquisas.Mais cedo nesta terça-feira, o ministro da Defesa de Israel, Shaul Mofaz, havia dito que o país definirá suas fronteiras finais nos próximos dois anos com ou sem um acordo com os palestinos.Segundo analistas, essa é a primeira vez que um líder israelense dá detalhes tão específicos sobre quais assentamentos serão mantidos por Israel. Olmert teria especificado que pretende manter os três maiores blocos de assentamento da Cisjordânia - Ariel, localizado a 17 quilômetros da fronteira israelense com a Cisjordânia, Gush Etzion e Maaleh Adumim, ambas cidades satélites de Jerusalém. Cerca de 185 mil dos 244 mil israelenses assentados na Cisjordânia vivem nessas áreas, segundo o grupo anti-assentamentos Peace Now.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.