Olmert revela plano para manter Hezbollah distante da fronteira

Israel irá criar uma zona protegida do Hezbollah no sul do Líbano com dois quilômetros de largura dentro da fronteira libanesa, informou o primeiro-ministro israelense Ehud Olmert nesta quarta-feira. Esta é a primeira vez que Israel dá detalhes sobre seus planos para manter os guerrilheiros libaneses afastados do território israelense.Reunindo com os comitês de Defesa e de Relações Exteriores à portas fechadas em seus gabinete, Olmert foi rápido em descartar a idéia de criar uma nova "zona de segurança" - termo que muitos israelenses associam com um atoleiro militar.Segundo Olmert, a intenção "não é criar uma nova zona de segurança, mas sim uma área sem influência do Hezbollah". O premiê afirmou que a distância foi calculada de forma que os militantes do grupo extremistas não consigam mais disparar foguetes contra as patrulhas israelenses que protegem a fronteira.Essa zona dificultaria ações terroristas como a que originou toda a série de conflitos no Líbano, quando militantes do Hezbollah capturaram dois soldados e mataram outro, no dia 12 de julho.Nas últimas duas semanas o grupo disparou cerca de 1.500 foguetes contra Israel, alguns atingindo áreas 40 quilômetros distantes da fronteira entre os dois países. E o exército tem expressado muita preocupação com a possibilidade de o Hezbollah, suspeito de receber armamentos da Síria e do Irã, disparar mísseis contra a região central de Israel, incluindo Tel-Aviv, uma das principais cidades do país.Israel invadiu o Líbano em 1982 com o objetivo de acabar com os militantes palestinos que estavam utilizando o sul do país para lançar ataques contra Israel. Após a invasão, a presença israelense na região tornou-se um incomodo grande para ambas as partes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.