Olmert será investigado por troca de favores

Premiê teria recebido desconto de empreiteiro em compra de casa

AP E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

25 de setembro de 2007 | 00h00

Jerusalém - O procurador-geral de Israel, Meni Mazuz, ordenou ontem a abertura de uma investigação sobre o primeiro-ministro Ehud Olmert, que teria comprado uma casa em Jerusalém muito abaixo do preço de mercado.A acusação representa um duro golpe para Olmert que participará de uma conferência nos EUA com o presidente palestino, Mahmud Abbas, para negociar um acordo de paz.De acordo com a Controladoria do Estado de Israel, órgão estatal encarregado de supervisionar o governo, Olmert comprou em 2004 uma casa por US$ 1,2 milhão, cerca de US$ 325 mil abaixo do valor de mercado. O "desconto" teria sido dado por um empreiteiro em troca da ajuda do premiê - que na época era ministro de Comunicação - para conseguir alvarás de construção na cidade.Num comunicado, Olmert rejeitou as acusações e afirmou que pagou o preço justo pela casa. "Estamos convencidos de que a investigação mostrará que a compra da casa pela família Olmert foi feita de maneira honesta, ética e pelo preço apropriado", disse o texto divulgado ontem.Essa é a segunda investigação criminal aberta contra Olmert desde que ele se tornou premiê, em maio de 2006. Olmert foi investigado por acusações de que teria tentado influenciar negócios do segundo maior banco de Israel, o Leumi, para favorecer dois amigos.Político veterano, Olmert sofreu inúmeras acusações de corrupção durante sua carreira, mas nunca foi condenado. A investigação deve prejudicar a imagem do premiê, que somente agora obteve um aumento de popularidade - que chegou a cair para 2% após a guerra contra o grupo xiita libanês Hezbollah, considerada um fracasso no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.