OMS diz que epidemia de ebola no oeste africano deve durar de 2 a 4 meses

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta terça-feira que precisará de dois a quatro meses para conter uma epidemia "desafiadora" do vírus ebola no oeste da África.

Reuters

08 de abril de 2014 | 15h50

O vírus mortal ainda está se espalhando em três regiões críticas de Guinée Forestière, região do sudeste do país a cerca de 900 km da capital da Guiné, Conacri, cidade que relatou 20 casos até o momento, informou a agência das Nações Unidas.

Mas a OMS disse não estar recomendando nenhuma restrição de viagem à Guiné, que tem um total de 157 casos suspeitos e confirmados da doença, incluindo 101 mortes, ou à Libéria, que tem 21 casos suspeitos e confirmados e 10 mortes.

"Creio que vamos estar totalmente envolvidos com este surto durante os próximos dois, três, quatro meses antes de podermos afirmar com segurança que o superamos", disse o doutor Keija Fukuda, ditetor-geral assistente da OMS, em uma coletiva de imprensa em Genebra.

"Este é um dos surtos de ebola mais desafiadores que já enfrentamos", afirmou ele.

(Por Stephanie Nebehay)

Tudo o que sabemos sobre:
AFRICAEBOLAOMS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.