OMS: época da gripe está perto do fim no hemisfério sul

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou hoje que em breve será mais fácil avaliar a propagação da Influenza A (H1N1) com o fim da temporada de gripe sazonal nas nações mais pobres do hemisfério sul. Um porta-voz da entidade, Thomas Abraham, disse que o pior estágio da gripe sazonal está perto do fim no hemisfério sul, e isso facilitará o monitoramento do vírus da gripe suína, que já matou mais de 800 pessoas em todo o mundo.

AE-AP, Agencia Estado

31 de julho de 2009 | 13h57

A OMS teme que seja mais difícil combater a doença em países pobres da América Latina e da África subsaariana - o alto índice de casos nesses lugares tornou difícil o exame de todas as pessoas com os sintomas. Ainda hoje, a porta-voz da OMS Aphaluck Bhatiasevi afirmou que a entidade recomenda o tratamento antiviral para as mulheres grávidas que têm a gripe A H1N1.

No Chile, as autoridades sanitárias já contabilizam 11.860 casos da doença, com 96 mortos. Além disso, há 328.123 suspeitas de contágio. No entanto, o governo do país já vê uma tendência de declínio na propagação da enfermidade. O último informe do Ministério da Saúde afirma que há uma "clara tendência descendente no número de casos de influenza pandêmica A H1N1". A pasta ressaltou que a maioria das pessoas contraiu o vírus em sua forma branda.

Cruzeiro

Também hoje, um funcionário francês informou que aproximadamente 60 tripulantes de um cruzeiro tiveram testes positivos para a gripe A. Eles foram confinados a suas cabines enquanto o navio está em um porto francês. A embarcação chegou hoje em Villefranche-sur-Mer, como parte de um tour pelo Mar Mediterrâneo, e funcionários locais permitiram que os 3.600 passageiros descessem e visitassem a cidade. O navio parte à noite para Marselha.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínaOMSAmérica LatinaÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.