OMS fala sobre falta de medicamentos na Síria

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que os confrontos na Síria provocaram a interrupção das atividades de muitas indústrias farmacêuticas, o que resulta em falta de medicamentos.

AE, Agência Estado

07 de agosto de 2012 | 11h13

O porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic, disse que 90% dessas fábricas estão instaladas nas províncias de Alepo, Homs e Damasco onde os confrontos entre governo e rebeldes armados se intensificou.

Jasarevic disse nesta terça-feira que "muitas dessas indústrias estão fechadas como resultado dos confrontos e do crescente custo dos combustíveis, o que resultou numa perigosa falta de medicamentos".

Segundo ele, os confrontos também causam o fechamento de instalações de atendimento médico, em áreas onde elas são mais necessárias.

Jasarevic disse que o Ministério da Saúde sírio informou a perda de 200 ambulâncias nas últimas semanas. Os veículos foram roubados ou perdidos durante confrontos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaONUmedicamentosprodução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.