OMS quer que suspeita de SARS seja testada fora da China

Um dia depois do surgimento do primeiro caso de suspeita de SARS desde julho, departamentos de saúde por toda a China começaram hoje a tomar medidas contra a Síndrome Respiratória Severa Aguda. De acordo com a Agência de Notícias Xinhua, Pequim ordenou que aeroportos e estradas aumentassem a segurança com relação a problemas de saúde com passageiros, e que todas as pessoas com febre alta fossem levadas a um hospital designado pelo governo.Um funcionário do governo afirmou que o paciente com suspeita de SARS encontrava-se hoje em condição estável num hospital em Guangzhou. "Levará alguns dias até que tenhamos um dignóstico final", disse um funcionário da equipe anti-SARS na província de Guangdong.A Organização Mundial de Saúde (OMS) pediu que o país enviasse amostras do caso suspeito da doença para que sejam testados em laboratórios internacionais, já que os testes realizados no país foram inconclusivos.O paciente, de 32 anos, trabalhada numa rede de TV e deu entrada no hospital no último dia 20 com febre e dor de cabeça. Segundo a agência Xinhua, o homem foi tranferido na quarta-feira para uma estação de quarentena e na sexta foi declarado que se tratava de um caso suspeito de SARS. Autoridades da OMS afirmaram que o paciente não teve contato com grupos de alto risco, como pessoal da área de saúde ou com animais, nas semanas que precederam os sintomas, fazendo da fonte de infecção um mistério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.