Fernando Bizerra / EFE
Fernando Bizerra / EFE

OMS registra número recorde de casos de coronavírus em um único dia

Registro de 106 mil casos em 24 horas foi puxado particularmente por Brasil, Estados Unidos, Rússia, Arábia Saudita, Índia, Peru e Catar 

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2020 | 20h50

GENEBRA - A Organização Mundial da Saúde (OMS) reportou nesta quarta-feira, 20, o maior número de casos de covid-19 em um único dia desde o início da pandemia, particularmente nos Estados Unidos, Brasil, Rússia, Arábia Saudita, Índia, Peru e Catar

Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 888 mortes decorrentes do novo coronavírus  e já contabiliza, ao todo, 18.859 vítimas da covid-19, segundo atualização feita pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira, 20. 

"Ainda temos um longo caminho a percorrer nesta pandemia de covid-19. Nas últimas 24 horas, 106 mil casos foram reportados à OMS - a cifra mais alta em um único dia desde o início da pandemia", alarmou-se o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em sua entrevista coletiva virtual, em Genebra. "Cerca de dois terços destes casos foram declarados em quatro países." 

Tedros não citou os países, mas segundo o último relatório da OMS publicado em sua página na internet, tratam-se de Estados Unidos, Rússia, Brasil e Arábia Saudita, seguidos de Índia, Peru e Catar. 

"Estamos muito preocupados com o número crescente de casos nos países com renda baixa ou média", onde o sistema de saúde "tem dificuldades ou é inexistente e as medidas de distanciamento físico são mais difíceis de aplicar", destacou Tedros. 

Esses países são de fato mais vulneráveis no campo econômico ao desmoronamento das trocas comerciais e dos deslocamentos internacionais, que os privam em particular da receita turística indispensável. 

Segundo a OMS, Europa e Ásia Oriental seguem registrando queda na quantidade de novas infecções, mas a tendência é oposta em todas as outras regiões do planeta.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) avaliou nesta quarta-feira em um relatório que o índice de desenvolvimento humano, que mede a educação, a saúde e a qualidade de vida, está recuando este ano pela primeira vez em várias décadas, devido a consequências sanitárias, sociais e econômicas da pandemia. 

Em breve, a pandemia deverá alcançar a marca dos 5 milhões de casos no mundo, disse Michael Ryan, encarregado de emergências sanitárias da OMS. 

Surgida na China no fim de 2019, a pandemia do novo coronavírus matou mais de 325 mil pessoas, segundo balanço da France Presse. /AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.