OMS vai estudar se batata frita causa câncer

Especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) começam, nesta terça-feira, em Genebra, uma reunião de três dias para analisar o resultado de uma pesquisa que mostra que batatas e outros alimentos ricos em carboidratos geram substâncias cancerígenas quando são cozidas ou fritas.A reunião de 25 cientistas foi organizada depois que especialistas suecos disseram, em abril, que um agente cancerígeno, a acrilamida, aparece quando alimentos como batatas, cereais e arroz são cozidos ou fritos no forno.Batatas fritas, por exemplo, podem conter até 500 vezes acima do nível considerado aceitável, segundo os pesquisadores. De acordo com Jorge Schlundt, da OMS, as investigações suecas foram logo confirmadas por cientistas da Grã-Bretanha, Noruega, Alemanha e Suíça."Se o que aprendemos com os experimentos for verdade, poderia ser uma causa muito significativa de câncer nas pessoas", disse Schlundt. "Até agora conhecíamos os riscos da acrilamida na água potável, mas nunca descobrimos sua presença nos alimentos."Segundo a OMS, em altas doses a acrilamida pode provocar danos ao sistema nervoso e causar paralisia, impotência ou câncer. A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos classifica a acrilamida como "um provável agente cancerígeno humano de risco moderado".A substância química é usada na fabricação de alguns corantes e pigmentos, principalmente no processo de purificação da água. Os cientistas suecos, responsáveis pelo estudo, disseram que não dariam recomendações adicionais para a saúde dos consumidores, argumentando que o tabaco representa riscos cancerígenos bem maiores do que a acrilamida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.