OMS volta a criticar China; Sars se espalha em Taiwan

A Organização Mundial da Saúde lançou novas dúvidas sobre a eficiência do combate à pneumonia atípica, afirmando que há ?lacunas? nos dados sobre cerca de metade dos casos registrados em Pequim, enquanto que em Taipé (capital de Taiwan) a doença se espalha entre pessoas que, até onde se sabe, não tiveram contato com vítimas infectadas.Autoridades de Pequim disseram acreditar que a crise na capital da China está arrefecendo, mas a OMS - que pediu à China informações mais acuradas e transparentes - se absteve de confirmar ou negar a afirmação.Neste sábado foram registradas cinco novas mortes na China, quatro em Taiwan e duas em Hong Kong. Com isso, a Sars já matou 526 pessoas em todo o mundo. Mais de 7.000 pessoas foram infectadas em 25 países, incluindo 85 novos casos na China e 23 em Taiwan - o maior salto em número de casos em um só dia já registrado.Durante os estágios iniciais da epidemia, as autoridades taiuanesas foram capazes de rastrear e isolar rapidamente as fontes de infecção - muitas eram pessoas que tinham feito visitas recentes à China e Hong Kong. Mas a doença passou a se espalhar entre a população em geral, desafiando os esforços para localizar e deter os focos.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.