Onda de ataques mata mais de 20 no Iraque

Rebeldes lançaram uma série de ataques contra a polícia iraquiana na região conhecida como Triângulo Sunita. Há pelo menos 24 mortos, sendo 19 policiais. Os atentados ocorrem um dia depois de o principal partido sunita ter decidido se retirar das eleições de 30 de janeiro, denunciando a deterioração da segurança no país. Também hoje, um grupo radical disse ter matado oito iraquianos que trabalhavam para uma empresa americana.Doze policiais foram mortos durante o ataque, a tiros, contra uma delegacia 20 km ao sul de Tikrit, cidade natal de Saddam Hussein, disse Arkan Mohammed, uma autoridade do governo local. Um carro-bomba matou cinco membros da Guarda Nacional e feriu 26 perto de Baqouba, 50 km a nordeste de Bagdá, depois que as tropas isolaram uma área para desarmar uma bomba de beira de estrada. Na cidade de Baqouba, o capitão de polícia Na´em Muhanad Abdullah foi assassinado.Na vila de Muradiya, 30 km a nordeste de Bagdá, outro carro-bomba matou cinco civis e feriu dezenas, disse um médico. Em Mossul, no norte do país, um homem armado atacou um posto policial. Um agente de polícia foi morto. Em mais um duro golpe nos planos para realizar eleições em 30 de janeiro, o maior partido político sunita do Iraque retirou-se do pleito na segunda-feira. Sem participação de representantes dos sunitas, a eleição terá sua legitimidade seriamente contestada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.